28 de janeiro de 2013

Uma saudade


Imaginei por diversos momentos, o que eu faria se fosse alguém próximo a mim? O que eu sentiria se eu tivesse deixado pra trás meus amigos e tivesse saído daquele lugar? Qual seria o tamanho do meu desespero ao tentar sobreviver e não ter nenhuma chance? Na verdade, eu ainda me torturo ao imaginar isso e por mais que eu não deva pensar em algo assim, eu imagino o tamanho da minha dor se alguém que eu amo tivesse o término da vida naquele lugar. Eu apenas imagino, eles sentem.

Culpar alguém não vai resolver o que aconteceu. Não vai trazer todas as vidas, os sonhos, os sorrisos, os abraços e os planos de volta. Culpar não vai aliviar a dor da ausência, da saudade. Culpar, não vai te deixar mais forte e te fazer evitar as lágrimas. Infelizmente aconteceu! O que nos resta é torcer para que isso jamais se repita.

Hoje, eu acordei dando mais valor pra minha vida, pra todas as pessoas que estão do meu lado. Sei que não necessitava isso para que eu entenda o grande risco que corro todos os dias e para perceber que amanhã eu posso não ter forças para escrever tais palavras e que alguém que tanto amo, pode ir pra longe de mim. Sei que não precisa minha mãe me encher de recomendações toda vez que eu saio para uma festa, mas ela tem lá seus motivos, eu posso não voltar, como muitos jovens não voltaram na madrugada de domingo.

O Rio Grande do Sul está em luto, a terra de céu azul transformou-se em um manto cinza, onde a dor ecoa em cada canto desse lugar. Achei que não aconteceria algo assim, um povo tão “forte, aguerrido e bravo”, hoje está frágil, com os olhos cheios d’água e o coração repleto de um sentimento ruim, "a perda".


Texto referente a tragédia ocorrida na cidade de Santa Maria - RS, no dia 27/01/2013, onde 233 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas, a maioria jovens, após incêndio em uma boate. É apenas um desabafo, não me venha com palavras toscas sobre o assunto, se você não tem sentimento, respeite quem tem.